Como funciona a LGPD para sites e portais jornalísticos

Empresas de mídia existem para comunicar, informar, entreter. Muitas delas criam conteúdo, notícias, vídeos, reportagens, jornais… Nesse grupo entram diversas empresas que têm nos anúncios a sua principal forma de fazer dinheiro.

 

Ter publicidade em um site ou portal, porém, muitas vezes significa conhecer o público para poder vender esses espaços. E conhecer o público significa coletar dados. Quanto melhor for o mídia kit do veículo contendo essas informações do público-alvo que consome seu conteúdo, mais atrativo será para a empresa anunciante, pois ela saberá se está falando com o público dela também ao investir.

 

Uso de cookies nos portais jornalísticos

 

Uma das formas com que os sites de mídia coletam dados do público são os cookies, no caso de portais e blogs. Eles fornecem dados importantes para a audiência sobre o comportamento dentro das páginas, o dispositivo usado, o navegador, os interesses de leitura, os cliques em links, etc.

 

Os cookies ajudam a personalizar a experiência dos usuários, mostrando conteúdo mais segmentado, além de ajudarem o veículo a gerar receita com anúncios, como já comentamos. A grande questão sobre os cookies é que, com a LGPD, é preciso o consentimento dos usuários para usá-los na coleta de dados sobre eles.

 

Todos os sites que usam cookies para captar dados de usuários precisam, a partir de agosto de 2020, ter um banner para obter o consentimento para o uso deles. Na Europa, com o Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados, dois meses após a vigência da lei, mais de mil sites norte-americanos estavam foram do ar na Europa, até conseguirem entrar em conformidade.

 

Para que os sites de notícias brasileiros não precisem passar por isso de ficar fora do ar, quanto antes estiver disponível o banner para consentimento, melhor. Ferramentas para agilizar esse processo são essenciais, para que os portais possam estar em compliance e evitar as penalidades de não estar dentro da nova lei (como bloqueio das atividades ligadas aos dados e multas).

 

Dados de assinantes devem ser protegidos

 

Não basta apenas obter o consentimento dos visitantes de um portal para estar em compliance com a LGPD. É preciso que esses dados estejam protegidos contra os vazamentos e também que não sejam usados para os fins que não foram ditos aos usuários. 

 

Um assinante, por exemplo, para começar a receber os conteúdos da sua empresa precisa preencher um cadastro. Se nesse cadastro ele deu consentimento para receber conteúdo informativo, mas não quer receber nada da área comercial, isso deve ser respeitado. Deve constar no formulário essa opção para que cada pessoa decida o que pode ser feito com seus dados pessoais.

 

Cuidado no compartilhamento de informações

 

Principalmente na hora de vender espaços para anúncios no portal, muitas empresas de mídia e portais de notícias compartilham os dados da audiência. Esse compartilhamento deve estar esclarecido nas Políticas de Privacidade do portal. O link para as políticas deve estar acessível para tirar qualquer dúvida sobre a coleta e o uso de dados.

 

Os cookies usados nos sites, por exemplo, muitas vezes compartilham informações com as redes sociais e demais plataformas. Esse compartilhamento deve ser de conhecimento dos usuários. Assim eles sabem por que estão vendo determinados anúncios, por exemplo, e assim conseguem decidir se autorizam o uso de cookies ou não.

 

Para entender melhor sobre o uso de cookies na internet e a gestão do consentimento, confira este post de nosso blog!