PrivacyTools - LGPD - Linkedin
Categories
Blog

Confira o resumo do evento LGPD e Jornalismo #parte2

No dia 26 de agosto, quinta-feira, a Privacy Tools sediou em seu canal de Youtube mais um evento da série Privacidade Acima de Tudo. Foi a segunda parte da edição LGPD e Jornalismo, com convidados especialistas na área. Foram eles:

 

Douglas Ivanski (Grupo RIC)

Jonatas Abbott (Dinamize) 

Rony Vainzof (Opice Blum)

 

O bate-papo foi mediado por Aline Deparis, CEO da Privacy Tools. Confira os principais destaques:

 

É preciso haver união entre as áreas

 

Douglas Ivanski, que atua como DPO, durante sua fala, mencionou o apoio da presidência, do setor jurídico e todas as áreas da empresa que fizeram o mapeamento dos dados tratados. 

 

Nesse sentido, Douglas comenta que o “fluxo de informações deve ser bem definido para não atrapalhar o dia a dia” e também não engessar a empresa. Todos devem saber como fazer em relação aos dados de assinantes e clientes.

 

Deve-se ter cuidado com os e-mails

 

Jonatas Abbott, Dinamize, reforça o cuidado que é preciso ter no envio de e-mails. De acordo com ele, a ferramenta é mal interpretada e menos é mais. “Quanto mais segmentado, mais sucesso se tem no e-mail. Mas antigamente se tinha o hábito de comprar listas, fazer aquele tiro de canhão”.

 

A empresa teve de “demitir” muitos clientes quando passou a encarar os e-mails de outra forma, oito anos atrás. Jonatas relata que determinados clientes não se preocupavam com privacidade e a parceria teve de ser rompida. Foram R$ 100 mil de baixa no faturamento em decorrência desses cancelamentos.

 

Quando a empresa tem uma base sólida de dados, tem as próprias segmentações, faz o próprio Business Analytics e usa ferramentas como e-mail, SMS e WhatsApp, ela tem o próprio veículo a própria mídia. “Isso é fabuloso, porque traz independência”, reforçou Abbott. Porém, é preciso ter cuidado e proteger essas informações.

 

Não estamos inventando a roda

 

Rony Vainzof relembra sobre um dos lados positivos da LGPD, que é ela ser baseada na GPDR, da União Europeia. De acordo com ela, é uma vantagem, pois “não estamos inventando a roda” e a legislação da UE é robusta. Mais de 130 países no mundo seguem os mesmos parâmetros.

 

Ou seja, quando uma empresa está se adequando à LGPD, não é uma vantagem só no Brasil. Ela está apta a fazer negócios também em mais de 130 países que seguem as mesmas diretrizes. Isso é importante na questão de investimento exterior.

 

O jornalismo precisa estar no digital

 

Por mais que seja complexo coletar, tratar e proteger os dados dos assinantes e leitores nesse mundo online, o jornalismo precisa estar em todos os lugares. Ivanski reforça que os veículos precisam ser omnichannel. É necessário estar onde o espectador está, e muitas vezes ele não tem tempo de parar para assistir televisão ou ler jornal, mas ele está sempre conectado na internet.

 

Então as empresas de mídia precisam entender esse novo mundo, utilizar os dados a seu favor e atuar da melhor forma para estreitar os laços com os usuários sem que isso prejudique a privacidade.

 

O evento na íntegra pode ser conferido no canal do Youtube.