PrivacyTools - LGPD - Linkedin
Categorias
Blog

LGPD em Vendas: 4 pontos que precisam ser considerados em suas estratégias

A tecnologia promoveu grandes mudanças na sociedade e para garantir a segurança dos usuários, o Governo Federal criou a LGPD, Lei Geral de Proteção de Dados, sob o número 13.709/2018. 

A validação dessa legislação tem como base o Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados, criado pela União Européia, no mesmo ano de 2018. 

Essa preocupação se deu para que as regras estabelecidas sejam como uma ferramenta de proteção quanto à privacidade e esclarecimento sobre o uso dos dados dos usuários. 

É sabido que a presença de pessoas na internet passou a ser mais frequente, com diversas ferramentas solicitando dados como nome, endereço e CPF. 

Inclusive, diversos serviços podem ser adquiridos por meio de sites especializados, facilitando o processo de compra, pesquisa e aprendizado do internauta, como:

  • Tv por assinatura;
  • Streaming de vídeo e música;
  • Lojas de produtos variados;
  • Contratação de mão de obra especializada.

Tudo isso passou por mudanças drásticas, levando em consideração que os dados são sigilosos, e pessoas de caráter duvidoso passaram a vender as informações, invadindo a vida pessoal dos consumidores de forma indevida.

Além disso, diversas ferramentas que solicitavam as informações poderiam repassar esses dados para canais variados para contatos publicitários ou para outros fins, sem que o usuário realmente soubesse qual a finalidade de tais informações e o porquê “doar” esse acesso.

Por isso as autoridades encontraram uma forma de proteger o cidadão, utilizando ferramentas legislativas para regulamentar o meio digital e para que a punição chegue aos responsáveis pelo vazamento de dados de forma indevida.

1. Sobre as bases legais da LGPD

Para evitar que os dados dos clientes sejam utilizados por pessoas não autorizadas, a LGPD estabeleceu diretrizes para que as empresas tenham responsabilidade sobre essas informações e expliquem o motivo de colhe-las, sendo que isso vale para mídias físicas e digitais.

Portanto, as bases legais devem ser respeitadas em sua integridade, desde o consentimento do cliente quanto ao uso de dados para uso exclusivo em uma negociação comercial até a proteção de crédito.

Há os direitos e deveres que a empresa deve cumprir, como a execução do contrato em sua integralidade. 

Para os clientes, cabe aceitar as regras estabelecidas no ato da contratação de um serviço ou compra de um produto.

Mesmo o Governo Federal deve se enquadrar na LGPD, seja para o cumprimento da lei em sua totalidade apresentada pela Constituição, seja para que as políticas públicas sejam apresentadas de forma devida.

2. Atendimento apropriado para o cliente

Com a implementação da LGPD, as empresas passaram a estabelecer contato com os potenciais clientes a partir de prospecções ativas e passivas mais assertivas e com qualidade, respeitando as normas preestabelecidas.

Para otimizar esse processo, podem ser utilizadas ferramentas eletrônicas, como o CRM (Customer Relantionship Mangement), em tradução livre “Gestão de Relacionamento com o Cliente”.

Na captação ativa de clientes, os vendedores entram em contato com os clientes que forneceram os dados de maneira consciente, demonstrando interesse no serviço.

Com isso, os consumidores esperam esse retorno, seja em forma de ligação telefônica, e-mail ou outras ferramentas de comunicação.

No atendimento passivo, é o cliente que entra em contato com a empresa, por meio de atividades diárias na internet, ou quando mostra interesse por algum produto ou serviço disponibilizado.

Em ambos os casos, a comunicação pode ser realizada por meio de visitas ao site ou redes sociais, troca de e-mail e conversas telefônicas. 

Até mesmo contatos em feiras e eventos corporativos passam a ser procedimentos claros de que há interesse entre ambas as partes.

Com a ajuda de um programa específico de CRM, as empresas arquivam os dados sobre as pessoas interessadas e potenciais clientes, bem como registram os contatos já realizados, criando um histórico sobre o perfil e necessidade daquela pessoa, de modo que o atendimento seja melhor qualificado independentemente de quem realizá-lo.

Com isso, no cruzamento de dados, é possível obter dados que ajudam a entender o que o consumidor necessita, de maneira clara e direta, bem como seu comportamento e “dor”.

3. Estratégias de marketing utilizam dados 

O atendimento ao cliente sempre foi uma ferramenta importante para conquistar e fidelizar o cliente, seja em processo de pré ou pós-venda.

A disposição de dados significativos ajuda na composição de um planejamento de propaganda e marketing para atingir o público-alvo de maneira acertada, bem como na retomada do contato sempre que necessário – bem como o melhor entendimento do público.

Deste modo, as estratégias adotadas podem utilizar ferramentas digitais, por meio de sites especializados e redes sociais, assim como canais de comunicação físicos, como jornais, revistas, outdoors, papelaria, entre outros instrumentos.

Em todos os casos, a coleta de dados deve ser clara e contatos mais ativos, como e-mail marketings precisam ter interesse expresso por parte do usuário, havendo a possibilidade de cancelamento quando desejar.

4. Procedimentos se adaptam às mudanças

As alterações proporcionadas pela tecnologia são percebidas continuamente na sociedade. 

Dessa forma, a mudança implementada no treinamento e gestão de equipe de vendas também mudou e precisam considerar o novo cenário, principalmente para que as empresas possam se adaptar à LGPD.

A formalização de equipes preparadas para atender aos clientes e suas necessidades imediatas é facilitada com os programas integrados e o desenvolvimento da tecnologia da informação, respeitando os direitos desse cliente/usuário.

O gerenciamento das informações ficam centralizadas em núcleos distintos, com os resultados sendo apresentados de maneira imediata e direta em uma tela de computador, ou mesmo em um tablet, geralmente com as informações já mensuradas.

Por isso é preciso ter um programa dedicado ao CRM desenvolvido de maneira personalizada para cada empresa. 

Com isso, o atendimento é agilizado e as vendas podem ser realizadas com propriedade, tendo os dados do cliente apresentados de maneira autorizada e livre para que possa ser utilizada da melhor forma possível – sem que haja informações desnecessárias, protegendo ambos.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Top News Tech, site voltado para a veiculação de conteúdos ricos e relevantes para empresas de diversos nichos, bem como estratégias que contribuem para o desenvolvimento do negócio.